10 de outubro de 2013

Ausência

Meus cabelos já não ficam revoltos. Minhas preocupações se foram.
Afinal, meus dias secaram. O silêncio é o som da minha vida.
Olho no espelho e falta minha presença.
Nem a face é a mesma, nem nela o ânimo existe.
Estou aqui em pele e osso. Mas oco.
Tento reagir continuamente.
Tento, mas nada me preenche.
Sou uma estrutura que se move programada,
repetindo movimentos e reproduzindo sempre o mesmo dia.
São as mesmas 24 horas, que estão se estendendo por anos,
sem que possa raiar um novo dia, em que possa voltar estar presente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário